Outras soluções para o seu hospital

  • Resíduos Equiparados a Urbanos - Disponibilizamos contentores adequados de acordo com a tipologia do resíduo. Todas as operações de gestão de resíduos são realizadas no cumprimento rigoroso de todos os requisitos técnicos e legais.
  • Resíduos Elétricos e Eletrónicos - Estes são resíduos de equipamentos eletrónicos e elétricos e que incluem todos os equipamentos que dependem de corrente elétrica ou campos electromagnéticos para funcionar.
  • Dosimetria - Os dosímetros permitem estimar a dose efetiva recebida no exercício das atividades dos profissionais que estejam ou possam estar sujeitos à exposição de radiações ionizantes.
  • Consumíveis - A Stericycle fornece todos os materiais necessários para a correta gestão dos resíduos. Dispomos de uma vasta oferta de contentores de diferentes litragens para vários tipos de resíduos, sacos, suportes rodados, sistemas de fixação, entre outros.
  • Consultoria e Formação - Dispomos de uma equipa com elevados conhecimentos técnico-científicos que possibilita a implementação e a manutenção das melhores soluções em proteção ambiental e segurança, nos nossos clientes.
  • Transporte de Matérias Radioativas - As matérias radioativas podem incluir vestuário e equipamentos, bem como a fonte de radiação.
  • Resíduos de Higiene Feminina - Oferecemos uma solução segura para a gestão de instalações sanitárias, sem complicações para o seu negócio, dando-lhe a confiança de que o seu dever de higiene e todas as obrigações legais são cumpridas.

Porquê a Stericycle?

A Stericycle desenvolveu sistemas de gestão integrada de resíduos hospitalares, onde se incluem as operações/serviços/produtos de acondicionamento, recolha, transporte, tratamento e destino final.

As soluções de gestão integrada de resíduos hospitalares são concebidas em função da dimensão, características e necessidades específicas de cada unidade de saúde e podem incluir:

  • Serviços de Gestão Interna de Resíduos (equipas e logística)
  • Fornecimento de Consumíveis (sacos de plástico, contentores, etc)
  • Gestão de Resíduos Hospitalares Perigosos (Grupos III e IV)
  • Gestão de Resíduos Hospitalares não Perigosos (Grupos I e II)
  • Gestão de Resíduos especiais Perigosos
  • Gestão de Resíduos Valorizáveis
  • Definição, conceção e utilização dos mais complexos sistemas de gestão de resíduos hospitalares
  • Recurso às mais avançadas tecnologias aplicadas à gestão de resíduos
  • Equipa técnica com qualificação técnico-científica adequada à articulação entre a empresa e a unidade de saúde
  • Conhecimento das especificidades da gestão dos resíduos em causa
  • Relacionamento com entidades recetoras dos resíduos recolhidos
  • Articulação com as entidades oficiais

Como podemos ajudar

Existem requisitos rigorosos de conformidade sobre os resíduos hospitalares perigosos e não perigosos. Estes devem ser devidamente triados, rotulados e acondicionados adequadamente para transporte. E o seu armazenamento deve ser seguro e realizado em instalações protegidas. Além disso deverá existir documentação e certificação de todo o processo.

Mas sabemos que não escolheu uma carreira na área da saúde para se concentrar nas exigências e complexidade do processo de gestão de resíduos - essa é a nossa paixão.

Porque somos o parceiro ideal para si

Você separa

Separe e acondicione cada tipo de resíduo de acordo com a legislação em vigor.

Nós recolhemos

De modo regular ou de acordo com o seu pedido, efetuaremos a sua recolha.

Nós tratamos e eliminamos

Todos os resíduos são tratados de forma segura e de acordo com as normas vigentes, proporcionando-lhe total tranquilidade.

Suporte e Recursos

Uma melhor gestão dos resíduos começa aqui

Trabalhando em conjunto com a sua unidade hospitalar, os nossos especialistas em gestão de resíduos irão avaliar os produtos, serviços e regularidade adequada para a sua prática e irão disponibilizar a solução mais eficiente e económica para si.

Perguntas Frequentes

Quais os requisitos para o transporte de resíduos hospitalares perigosos?

De acordo com a Portaria nº 335/97, o transporte rodoviário de resíduos hospitalares dos Grupos III e IV deve ser efetuado pelas entidades responsáveis pela gestão desta tipologia de resíduos hospitalares, não obstante poder também ser realizado pelo próprio produtor ou por empresa licenciada para o transporte de mercadorias por conta de outrém, no respeito das regras estabelecidas na referida Portaria.
A guia de acompanhamento de resíduos hospitalares dos Grupos III e IV consiste no Modelo B, do nº 1429 da Imprensa Nacional – Casa da Moeda.
Trata-se de um modelo constituído por um único exemplar que fica na posse do transportador, não prevendo a referida legislação a existência de outros exemplares nomeadamente para posse do produtor.
De salientar que o transporte de resíduos abrangidos pelos critérios de classificação de mercadorias perigosas deve, igualmente, obedecer à regulamentação nacional de transporte de mercadorias perigosas (Decreto-Lei nº 206-A/2012, de 31 de agosto, que altera o Decreto-Lei nº 41-A/2010, de 29 de abril, o qual regula o transporte rodoviário e ferroviário de mercadorias perigosas), devendo nomeadamente ser dado cumprimento às condições estipuladas para a classe 6.2 desta regulamentação, bem como às disposições constantes no ponto 6.3 do Despacho nº 242/96, publicado no Diário da República II Série nº 187, de 13 de agosto.

Sou um produtor de resíduos hospitalares. Quais as minhas obrigações legais?

O DL n.º 178/2006, de 5 de setembro, alterado pelo DL n.º 73/2011, de 17 de junho, estabelece no seu artigo 5º os princípios da responsabilidade da gestão de resíduos. De acordo com este requisito legal, o produtor inicial dos resíduos é o responsável pela sua gestão, podendo assegurar o tratamento dos resíduos recorrendo a uma entidade licenciada que execute operações de recolha ou tratamento de resíduos (alínea b do ponto 5). A responsabilidade pela gestão dos resíduos por parte do produtor inicial extingue-se pela sua transferência para uma entidade licenciada (ponto 6).
 
De acordo com o documento “Resíduos Hospitalares” emitido pela Direção-Geral da Saúde, no caso específico dos resíduos hospitalares perigosos, “os operadores de gestão de resíduos hospitalares dos Grupos III e IV são entidades/empresas licenciadas pela Direção-Geral da Saúde ao abrigo da Portaria n.º 174/97, de 10 de março, responsáveis por instalações de armazenamento temporário, por instalações de tratamento ou por instalações de incineração e, ainda, pelo adequado encaminhamento dos resíduos resultantes das respetivas operações de gestão.
 
Em matéria de contratualização do serviço de gestão de resíduos hospitalares perigosos, a Direção-geral da Saúde esclarece ainda da necessidade de existência de um contrato entre o produtor e o destinatário final (operador de gestão de resíduos hospitalares devidamente legalizado) sempre que se verifique uma terceira entidade envolvida, nomeadamente, na operação de transporte, isto é, sempre que a empresa prestadora não seja o destinatário final.
 
De acordo com o despacho n.º 242/96, os órgãos de gestão do produtor são responsáveis por fazer cumprir o disposto nesse diploma, designadamente, na triagem e acondicionamento dos resíduos hospitalares. São ainda responsáveis pela sensibilização e formação dos profissionais em geral e daquele afeto ao sector em particular, nomeadamente, nos aspetos relacionados com a proteção individual e os corretos procedimentos.
 
Anualmente, até ao dia 31 de março, o produtor deve preencher os formulários MIRR – Mapa Integrado de Registo de Resíduos no âmbito do SILIAMB – Sistema Integrado de Licenciamento do Ambiente, garantindo o pagamento da respetiva taxa de registo.

Contacte-nos

Se já é nosso cliente ligue 808 200 246 ou envie um email para info.portugal@stericycle.com para falar com a nossa Linha de Atendimento ao Cliente.